Muitos dos nossos doentes, principalmente com condições mais crónicas, apresentam níveis elevados de vergonha e auto-criticismo. A relação consigo-próprios é hostil, principalmente quando falham ou erram. Sabemos também que doentes com níveis elevados de auto-criticismo tendem a obter menos ganhos terapêuticos na terapia cognitivo-comportamental e que esses ganhos dependem da modificação do auto-criticismo.
Por outro lado, a auto-compaixão, é uma resposta multidimensional ao sofrimento, uma relação Eu-Eu de suporte, compreensão e não-julgamento que envolve a capacidade de nos confortarmos, tranquilizarmos e motivarmos com encorajamento quando sofremos, falhamos ou nos sentimos inadequados.
Enquanto a vergonha e o auto-criticismo são considerados aspetos transdiagnósticos subjecentes à psicopatologia, a auto-compaixão apresenta sistematicamente associações negativas com a psicopatologia e positivas com o bem-estar, satisfação com a vida, afeto positivo (e.g., felicidade) e resiliência perante acontecimentos d vida negativos.
Perante estes factos, uma intervenção baseada na compaixão parece ser uma resposta eficaz.
Com efeito, o treino da compaixão demostrou efeitos inequívocos no auto-cuidado, na redução do stress, ansiedade e depressão, no incremento da compaixão e empatia, e numa maior capacidade de bondade e generosidade. Assim, um curso especializado que percorra a natureza da mente, a origem filogenética da compaixão, as múltiplas formas de cultivar a (auto)compaixão e as suas diferentes aplicações clínicas, parece necessário e útil.

Objetivos

– Compreender as dificuldades e os desafios que o cérebro humano apresenta como resultado da nossa história evolutiva; explorar a forma como as motivações inatas e os sistemas emocionais interagem com as competências cognitivas evoluídas, causando complexidade e dificuldades no cérebro humano.

– Compreender e conceptualizar os problemas de saúde mental à luz da abordagem evolucionária: sistemas de regulação do afeto, vergonha, auto-criticismo e psicopatologia

– Conhecer os componentes da (auto)compaixão e como o seu treino  facilita e promove o bem-estar e a saúde mental e física. Os medos, os bloqueios e as resistências à auto-compaixão em diversos problemas psicológicos e etapas desenvolvimentais (infância, adolescência, idade adulta);

– Conhecer e aprofundar a aplicação de estratégias e práticas que cultivam e estimulam uma nova organização da mente – mente compassiva, e o seu uso diferenciado em função do quadro clínico.

Contéudos Programáticos

Módulo 1 (42h)

  • Terapia Focada na Compaixão com Crianças/Adolescentes e Adultos

Módulo 2 (14h)

  • Especificidades da TFC na Psicoterapia

Módulo 3 (14h)

  • Desenvolvimento Pessoal do Terapeuta focado na Compaixão

Módulo 4 (7h)

  • Supervisão de Casos

Metodologia

  • Metodologia teórico-prática, exercícios experienciais em grande grupo, discussão e trabalho em pequenos grupos, discussão de casos clínicos
  • Neste contexto de exceção, o curso será, na sua maioria (até fevereiro de 2021), ministrado via online. Para isso será importante: ter acesso à internet, PC, capacidade de estar ligado à plataforma zoom, usar phones, um lugar onde possa fazer o curso que seja tranquilo. Daremos todo o suporte necessário para se ambientar à plataforma, muito simples

PREÇO E CONDIÇÕES DE PAGAMENTO

-Possibilidade de pagamento em 5 prestações, sem agravamento do preço.

 

 

Horário

Calendário e horário em formulação - Setembro 2020 a Abril de 2021

- Datas ainda em preparação
- Sempre aos Sábados e duas sextas-feiras
- Aproximadamente uma vez por mês
- Blocos de 3h e 30 minutos em formato online/presencial (manhã e tarde/7h dia)

Formadores

Maria do Céu Salvador

Psicóloga Clínica, Doutorada em Psicologia e Professora Auxiliar na FPCEUC

Paula Castilho

Psicóloga Clínica, Doutorada em Psicologia, Professora Auxiliar na FPCEUC; Professora de MBSR em formação no Mindfulness Based Professional Training Institute (University of California- San Diego)