A maioria de nós não terá dificuldade em identificar o sofrimento de alguém querido, respondendo com carinho, compreensão, tolerância, empatia e aceitação, numa genuína intenção de aliviar esse sofrimento. Não obstante, essa não é necessariamente a atitude com que nos dirigimos a nós próprios quando experienciamos sofrimento, principalmente quando erramos ou quando as coisas não correm conforme esperado.

Nessa altura, somos duros, exigentes, críticos, pouco empáticos, e intolerantes ao erro e ao próprio sofrimento. No entanto, a investigação tem mostrado consistentemente associações entre este autocriticismo e o sofrimento emocional, traduzido, nomeadamente, em sintomas depressivos e ansiosos.

A alternativa à atitude autocritica é a autocompaixão, traduzida numa atitude não ajuizadora de compreensão, bondade e carinho em relação ao Eu quando em sofrimento, com o objetivo de obter conforto e tranquilidade, necessários para melhor lidar com a situação em causa. A autocompaixão promoverá a sabedoria e coragem necessárias para enfrentar desafios e viver uma vida com significado.

Por sua vez, o mindfulness ou atenção plena consiste na capacidade de identificar, observar e não reagir a eventos internos, nomeadamente pensamentos, sentimentos e sensações corporais.
A investigação científica tem revelado que a autocompaixão melhora o bem-estar emocional, a qualidade de vida, a ligação aos outros, a felicidade e reduz a vergonha, a ansiedade e a depressão.

Objectivos

Nesta linha, o programa Mindful Self-Compassion (MSC), desenvolvido por Kristin Neff (investigadora pioneira na autocompaixão) e Christopher Germer (professor e clínico em Harvard, nos EUA), ensina os participantes:

— A teoria subjacente ao programa mindful self-compassion
— A não serem tão autocríticos
— A lidar mais facilmente com emoções difíceis
— A motivar-se com encorajamento e não autocriticismo
— A melhor lidar com relações difíceis
— A importância da prática das competências aprendidas
— A aplicar esta prática no dia-a-dia

Conteúdos Programáticos

O programa MSC comporta 8 sessões, num formato de grupo, com a duração de 3 horas sendo uma das sessões um retiro de 5 horas de prática intensiva.

Terças-feiras, semanalmente, das 21h00 às 00h00

Sessão 1: 7 de março
Sessão 2: 14 de março
Sessão 3: 28 de março
Sessão 4: 4 de abril
Sessão 5: 18 de abril
Retiro: 30 de abril, tarde (Quinta das Lágrimas)
Sessão 6: 2 de maio
Sessão 7: 9 de maio
Sessão 8: 16 de maio

Metodologia

Metodologia teórico-prática e experiencial.

Inscrições

Para efectuar a sua inscrição, necessita de preencher o formulário relativo aos seus dados pessoais e após o seu preenchimento, deverá efectuar o pagamento e enviar, juntamente com o formulário, o respectivo comprovativo para o Psikontacto.

Horário

Terças 21h00 às 00h00

7, 14 e 28 de março 2017
4, 18 e 30 de abril 2017
2, 9 e 16 de maio 2017

Formadores

Maria do Céu Salvador

Psicóloga Clínica, Doutorada em Psicologia e Professora Auxiliar na FPCEUC

Paula Castilho

Doutorada em Psicologia, Professora Auxiliar na FPCEUC