Assim, é crucial dar a cada família o suporte que ela precisa e deseja, principalmente as que por diferentes motivos estão a experienciar riscos particulares. Partindo das capacidades dos pais, ou seus substitutos, e das características das famílias, é importante catalisar as suas competências e energias. Os lugares da comunidade onde a família está integrada (como os jardins de infância, as escolas, os centros de saúde,…) são os locais preferenciais para aumentar a implicação dos pais e integrá-los em dispositivos de suporte e educação parental.
Para além desta faceta universal e preventiva, onde os pais e as famílias são alvo da promoção da mudança para a prevenção de uma trajetória desenvolvimental adaptativa da criança, quando passamos para o nível de tratamento, sabemos que intervenção com crianças e adolescentes, é indissociável de um trabalho concertado com os pais e famílias. Os pais podem ter diferentes papéis no processo de intervenção da criança, mas são sobretudo co-terapeutas e agentes de generalização dos ganhos alcançados.
Paralelamente, existe uma preocupação crescente das comunidades científicas e de quem está no terreno, em utilizar intervenções baseadas em evidências científicas. Encontramos entre estas intervenções diferentes programas para pais em formato individual, ou em formato grupo, alguns deles já testados no nosso país com famílias portuguesas.

Objectivos

Este curso tem como principais objectivos:
• Sensibilizar os diferentes profissionais que trabalham com famílias para a importância de envolverem os pais nas suas ações de prevenção e intervenção;
• Dar a conhecer alguns programas de intervenção com pais/programas de “educação parental”;
• Aprender a aplicar estratégias que são componentes principais dos programas parentais;
• Compreender os principais “processos” envolvidos nos programas parentais;
• Desenvolver competências para implementar programas para pais.

No final do curso, os formandos deverão ser capazes de:
• Identificar os principais conceitos e princípios subjacentes aos programas para pais e da parentalidade positiva;
• Reconhecer os “ingredientes fundamentais” dos programas com pais;
• Identificar as competências dos “Educadores” Parentais;
• Reconhecer as vantagens das intervenções com pais em grupo;
• Identificar os conteúdos principais dos programas parentais;
• Aplicar estratégias dos programas parentais em grupo;
• Identificar os mecanismos e processos subjacentes à dinâmica dos grupos de pais;
• Identificar as diferentes etapas necessárias para a implementação de um programa parental.
• Planear e prever diferentes formas de intervenção com pais nos seus locais de trabalho.

Conteúdos Programáticos

• Breve enquadramento: Conceito de “educação parental”, parentalidade positiva, estilos parentais, competências parentais.
• Intervenções com Pais: O que funciona?
• Princípios Gerais no trabalho com os pais.
• Competências dos “Educadores Parentais”
• Principais estratégias contempladas nas intervenções parentais.
• Exemplos de instrumentos de avaliação
• Vantagens da intervenção em grupo
• Exemplo de dois Programas de Intervenção Parental: “Programa Básico para Pais Anos Incríveis” e “Programa Mais Jovem/Mais Família”
• Diferentes etapas para a implementação de um Programa de Educação Parental
Metodologias:
• Exposições teórico-práticas.
• Trabalho em pequeno grupo; visionamento de pequenos vídeos (modelamento por vídeo); Exercícios práticos; Role-play.

Metodologia

29 de Maio de 2015 – 16h-20h
30 de Maio de 2015 – 10h-18h
05 de Junho de 2015 – 16h-20h
06 de Junho de 2015 – 10h-18h

Horário

10h-18h

29 e 30 Maio de 2015
05 e 06 de Junho de 2015

Formadores

Andreia Azevedo

Psicóloga Clínica, Doutorada em Psicologia, Especializada em Intervenção Parental.

Tatiana Carvalho Homem

Psicóloga Clínica. Doutorada em Psicologia Clinica. Supervisora e Líder Certificada no Programa Anos Incríveis para Pais.